Não é dieta, é VIDA

Como emagrecer apenas se libertando da dependência emocional de comida e criando um estilo de vida cheio de autoestima e significado

Esse vazio que você tenta preencher com comida é a falta que você sente de você mesma. É VOCÊ - e não a comida - que tem que ocupar o centro da sua vida.

O Não é dieta, é VIDA vai te devolver pra você mesma e te mostrar como acabar com o relacionamento abusivo com comida e com seu corpo.

Não é só seu corpo que tem que ser gostoso, é sua vida.

PRAZER, LÍGIA FABRETI

Para quem é o Não é dieta, é VIDA

O Não é dieta, é VIDA foi criado pra você, mulher de verdade que:

Cansou de se envergonhar, se esconder

e não quer mais achar que por não ser magra não merece as coisas boas da vida e fica deixando tudo pra "quando emagrecer".

Cansou de sentir culpa

e não quer mais viver achando que podia ter comido menos, malhado mais, feito diferente e sentindo que não é boa o suficiente.

Cansou de brigar com o próprio corpo

e não quer mais criticar a barriga, as coxas todo santo dia e por no corpo a culpa por todas as coisas ruins que acontecem na vida.

Quer parar de viver a vida errada

porque no fundo sabe que a vida não pode se resumir a pensar em comida, dieta, corpo e emagrecimento o tempo todo.

Quer parar de se anestesiar comendo

porque no fundo já percebeu que o problema não é falta de conhecimentos sobre nutrição, mas é o comer emocional. E quer mudar.

Quer ocupar seu lugar no mundo

porque no fundo sabe que tem muito potencial, mas os conflitos com corpo e comida a impedem de se mostrar de verdade.

Não é dieta, é VIDA

Não é mudando que você começa a se amar.
É se amando que você muda.

Reflita...

Quem é você antes do Não é dieta, é VIDA

Você até já se acostumou a pensar em corpo e comida o tempo todo, virou normal e parece que é temporário, que é "só emagrecer" e a alimentação vai ficar normal. O problema é que esse dia nunca chega e você:

Culpa a aparência pelos problemas que tem e acredita que se fosse mais magra teria uma vida muito melhor.
Já perdeu as contas de quantas vezes emagreceu e recuperou todo o peso perdido - e até um pouco mais.
Já está tão cansada de "fracassar" (emagrecer e recuperar) e já nem se esforça mais pra não se frustrar tanto - ao mesmo tempo não consegue desistir do sonho de ser magra.
Sabe o que tem que fazer, mas tem crenças limitantes, duvida se "merece"ser magra e acaba se sabotando.
Pensa muito nos outros, dá conselhos, cuida de todo mundo e geralmente se deixa por último. Acaba usando a comida para se consolar.
Faz 1001 coisas, se sente sobrecarregada, nunca tem alguém do lado para te apoiar e se tem, não sabe ou não consegue pedir e receber ajuda. Sozinha, acaba comendo para se acalmar, se conformar, se recompensar.
Tem dificuldade de dizer "não" e acaba comendo pra compensar os "SIM" que diz pensando "eu mereço depois de tanto esforço/sacrifício".
Costuma se despedir de comida dizendo que só vai voltar a comer determinados alimentos quando emagrecer, mas não consegue mais cumprir essa promessa por muitos dias.
Come escondido ou come mais quando está sozinha.
Queria ser mais magra, sente vergonha do corpo atual, vive sonhando com o corpo do "depois", mas não faz o que tem que ser feito para chegar lá.
Não sabe mais o que fazer, se sente perdida e duvida se tem "saída" ou se vai passar a vida toda com esses conflitos.

O GRANDE DESPERTAR

Não é dieta, é VIDA

O Não é dieta, é VIDA nasceu em 2015 quando eu percebi que estava "esperando emagrecer pra minha vida começar", mas na verdade minha vida já estava rolando desde 1983, eu já tinha mais de 30 anos e a maior parte dos meus pensamentos do dia eram sobre a minha barriga, meu peso, o que eu tinha comido, o que queria comer, o que não devia comer e todo o drama do que eu chamo de O Jogo da Comida.

Eu era viciada em querer emagrecer, queria ser magra mas não queria pagar o preço do processo de emagrecimento porque eu já tinha feito de tudo, menos o que funcionava pra MIM.

O PERCURSO COMPLETO

Eu acredito que

a preocupação excessiva com comida e com o peso é uma negação da vida. É uma distração e uma recusa de se sentir viva. 

Eu sei o que é acordar cedo e o primeiro pensamento do dia ser "preciso emagrecer". Sei como é dormir arrependida pelo que comi durante o dia, jurando "comer direitinho" no dia seguinte. Já me senti presa no meu corpo, sentindo que eu era a única pessoa no mundo que não tinha "força de vontade" suficiente pra fazer uma coisa tão "simples" como "fechar  boca". - as aspas expressam o quanto eu acho isso uma grande mentira hoje!

Depois que descobri que dietas não funcionam - e ainda que nos fazem ficar inutilmente obcecadas por comida e pelo nosso peso - criei o Não é dieta, é VIDA para espalhar essa mensagem e mostrar COMO se alimentar consciente e intuitivamente para então viver a vida que você deseja e merece independente do seu peso.

O que é um relacionamento abusivo com corpo e comida?

Veja baixo algumas das formas abusivas de se relacionar com corpo e comida:

FALTA DE CONFIANÇA

Não foi o que aprendemos e as dietas nos tiraram isso, mas: nosso corpo é confiável. Graças a ele raciocinamos, respiramos, digerimos os alimentos e muito mais. Quando confiamos nele, ele nos diz quando está com fome, saciado e nos ajuda a viver melhor quando respeitamos nossas emoções. Não somos uma cabeça ambulante, nosso corpo EXISTE e é essencial.

FALTA DE RESPEITO

Comer menos do que a necessidade diária do corpo em um dia e abusar de alimentos cheios de açúcar em outros, além de não ser fisicamente saudável, é desrespeitar o próprio corpo. É ignorar os sinais que ele manda e tentar controlar de um jeito arbitrário e ineficaz. O corpo não sabe a diferença entre estar morrendo de inanição e estar de dieta.
Respeitá-lo é necessário!

CHANTAGEM

Tentamos manipular nosso corpo de várias formas porque não entendemos como ele funciona. E olha que estou falando do nosso próprio corpo. Nosso lugar no mundo. Esse corpo que é só nosso e só nós podemos conhecer. Ninguém pode fazer isso pela gente. Não é à toa que remédios para emagrecer não funcionam, pessoas que fazem bariátrica ou colocam balão voltam a engordar. Enquanto não lidarmos com as reais razões emocionais que nos fazem engordar, nada vai funcionar.

AFASTAMENTO SOCIAL

Mulheres infelizes com o próprio corpo tendem a se esconder. Se arrumam menos, se olham menos no espelho, tem menos vontade de interagir socialmente. Muitas vezes, se apegam a promessas de que é temporário e quando emagrecerem será diferente. Mas o tempo vai passando, essa realidade não muda (até piora) e causa muito sofrimento. Elas se fecham emocionalmente também e isso aumenta o comer emocional. É um ciclo triste e sem fim.

Entenda que sua vida não vai parar esperando você emagrecer e que o emagrecimento acontece em você, com você, pra você, no seu próprio corpo. Por isso, é preciso parar de terceirizar, buscar fora e começar a habitar e entender como seu corpo funciona.

A relação com nosso corpo é a mais íntima e duradoura da nossa vida. Dormimos e acordamos nesse corpo. Do começo ao fim da vida. Comemos todos os dias, várias vezes ao dia. Do começo ao fim da vida.
Dependendo da forma como comemos, podemos estar violentando nosso próprio corpo. Pesado, eu sei.

Por isso, é urgente transformarmos nossa relação com nosso corpo e a comida.

ter vários tamanhos de roupa no guarda-roupa;
estar sempre de dieta, mas nunca definitivamente magra;
se despedir de comida todo domingo para recomeçar na segunda;
ser expert em dietas e ainda assim comer escondido;
alternar dias comendo "direitinho" e outros comendo tudo que vê pela frente;

Estes são alguns dos comportamentos característicos de quem vive um relacionamento abusivo com corpo e comida, mas sempre acha que é temporário. Que logo vai emagrecer e tudo vai se resolver definitivamente. Na verdade é o contrário: primeiro temos que transformar nossa relação com a comida, acabar com o efeito sanfona, com a compulsão alimentar, adotar
hábitos sustentáveis que promovam o emagrecimento como consequência.

Você não precisa de uma nova dieta. Você precisa aprender a se ouvir, a ter constância em um estilo de vida que seja sustentável pra você. Sem sofrimento. Sem negociação. 

Quem é você depois do Não é dieta, é VIDA

Se responsabiliza pelas próprias emoções e sabe que comer não resolve.
Não tem mais medo do efeito sanfona.
Foca no comportamento e sabe que o emagrecimento é a consequência lógica de atitudes saudáveis.
Conhece os próprios sabotadores e sabe lidar com eles.
Se coloca em primeiro lugar porque sabe que quando está bem, não precisa usar a comida para se consolar.
Investiga os próprios desejos e necessidades e não desconta tudo na comida.
Não fica comendo exageradamente dizendo que é a última vez porque entendeu como funciona O Jogo da Comida;
Sabe que não precisa mais comer escondido, com pressa, com culpa porque tem uma relação saudável com a comida.
Se sente bem no próprio corpo e sabe o quanto isso é essencial para uma vida boa, leve e feliz.
Não tem medo de engordar ou de se descontrolar com comida a qualquer momento.

Atualmente, você come para preencher vazios emocionais que a comida nunca vai preencher.

Esse vazio é a falta que você sente de você mesma.
Não é dieta, é VIDA vai te devolver pra você mesma e te mostrar do que você realmente tem fome: fome de vida!

O que dizem as alunas

Conheça algumas das histórias das mulheres que fizeram o Não é dieta, é VIDA:

NÓS SOMOS DIFERENTES

As alunas

Conheça alguns depoimentos de mulheres que se pesavam diariamente e que a qualidade do dia dependia do corpo e da alimentação: se comiam direitinho, emagreciam ou se sentiam mais magras, o dia era ótimo. Se exageravam, engordavam ou estavam mais inchadas, ficavam tristes, desanimavam e acabavam comendo por ansiedade. Até que elas conheceram o Não é dieta, é VIDA e o movimento de se alimentar intuitivamente, sem seguir dietas restritivas.

AQUI TEM MAIS HISTÓRIAS REAIS

Juliana de Melo, Rio de Janeiro

"Lígia, você não tem noção do quanto ter te conhecido mudou minha vida, é como se eu tivesse renascido. Eu posso dividir minha vida em antes e do seu programa e depois do programa.Hoje eu me sinto de bem com meu corpo e me amo do jeito que eu sou. Hoje me sinto inteira". ASSISTA O DEPOIMENTO COMPLETO

Paula Ferreira, Santa Catarina

"A Lígia me fez entender que meu problema não era com comida, era com a forma como eu me via, o quanto me cobrava e o quanto me preocupava com o julgamento dos outros. Mudei completamente a minha vida. Sinto uma gratidão e um amor enorme por ela".
ASSISTA O VÍDEO COMPLETO AQUI

Ceci Moore, São Paulo

"Passei minha vida inteira fazendo dieta, desde meus 12 anos. Tava sempre de dieta e fiz várias loucuras a vida inteira. Eu vivia entre esperança e frustração até que conheci a Lígia. O Não é dieta, é VIDA foi um marco na minha vida. Me trouxe vida. Me ajudou".  ASSISTA O VÍDEO COMPLETO AQUI

Comece uma Revolução

Transforme de vez sua relação com o corpo e a comida

Você sabe por que a maioria dos métodos de emagrecimento falham? Porque eles trabalham só os sintomas e não a causa do problema.

É como se a cozinha da sua casa estivesse alagando e, ao invés de fechar a torneira, você ficasse tentando secar o chão. Nunca vai dar certo, concorda?!

Na comunidade, você vai finalmente trabalhar a raiz do problema.

O único jeito de ter constância é tendo um estilo de vida que você ama e que seja a sua cara.

© Lígia Fabreti | Todos os direitos reservados.

Baixe seu Kit Agora

É só preencher os campos abaixo e boa!

Como você, não curto SPAM.

Close

REGISTER YOUR SPOT NOW

Enter your details below to get instant access to [enter lead magnet name here]

We process your personal data as stated in our Privacy Policy. You may withdraw your consent at any time by clicking the unsubscribe link at the bottom of any of our emails.

Close

Preencha com seus dados para ser avisada da próxima turma do Programa Não é dieta, é VIDA

Deixe seu nome e email abaixo para eu te encontrar 😉

Como você, não curto SPAM.

Close
Page Created with OptimizePress